CONHEÇA A GAZETA EXPEDIENTE CONTATO ANUNCIE BUSCA

atrações aviação bahia especiais eventos geral internacionais nacionais pessoas portugal salvador viagens
imprimir

Ásia, um motor de crescimento

ITB World Travel Trends Report atribui ao continente o papel chave para o turismo mundial – China imbatível na liderança do "boom"

Berlim, 16 de dezembro de 2013 – Este ano, a Ásia está uma vez mais entre os propulsores mais importantes do turismo mundial. Esta foi a conclusão que chegou o ITB World Travel Trends Report, o relatório que a IPK International realizou encomendado pela feira líder da indústria de turismo internacional. De acordo com este relatório, o continente registrou cifras de crescimento impressionantes. Na seção de atividades turísticas, os chineses são os primeiros da lista, enquanto o tradicionalmente forte mercado japonês tem dificuldade em avançar. Quanto às viagens internacionais, a China é hoje a número um em todo mundo no tocante a despesas de viagens, ocupando o segundo lugar em quantidade de viagens e o quarto lugar em quantidade de pernoites.

No total, as viagens dos asiáticos ao exterior cresceram em oito por cento nos primeiros oito meses de 2013. As viagens dos chineses ao estrangeiro foram as mais altas com 26 por cento, sendo que os japoneses viajaram dois por cento menos nesse ano. Os prognósticos para o próximo ano são semelhantes. Espera-se que o mercado chinês cresça em 18 por cento, ficando o mercado japonês previsivelmente estabilizado, mantendo-se no mesmo nível. Em 2014, prevê-se um crescimento total para os mercados de origem asiáticos de aproximadamente nove por cento.

Com o aumento de turistas na China neste ano, o país confirma cada vez mais a sua posição líder dentro do continente: Já em 2012 os chineses realizaram quase 45 milhões de viagens ao exterior e gastaram nessas viagens aproximadamente 84,4 bilhões de dólares americanos. Com essas cifras, o mercado chinês foi duas vezes maior que o japonês. Os outros mercados asiáticos também ficaram pequenos em comparação com o gigante chinês. No que se refere a quantidade de viagens ao exterior, a Coreia, Hong-Kong, Austrália, Índia e Indonésia ocupam os seguintes lugares.

Crescimento também nas chegadas

Este ano também foi bom para a Ásia como destino de viagens. As chegadas entre janeiro e agosto aumentaram em 6,3 por cento em comparação com 2012, conforme declarou a World Tourism Organization (UNWTO). Especialmente o sudeste asiático contou com uma procura mais forte, registrando um crescimento de doze por cento. O sul da Ásia recebeu aproximadamente seis por cento mais de turistas, a zona oceânica registrou um crescimento estável de quatro por cento. As viagens ao norte de Ásia aumentaram em apenas três por cento, perdendo forças em três por cento se comparadas com 2012.

Os chineses são os asiáticos que mais gostam de viajar. As estadias de quatro noites ou mais aumentaram em 2013 em 28 por cento, a quantidade de viagens curtas em 21 por cento, aproximadamente. Esse vasto crescimento torna o Império do Meio, conforme as despesas no estrangeiro, no número um no mundo inteiro, com uma quantia média de 1.765 dólares americanos por viagem. O motivo principal das viagens dos chineses são assuntos privados. As viagens de férias aumentaram este ano em 30 por cento. Existe uma procura de viagens de circuito, mas também de viagens curtas por cidades e férias na praia. A subida de viagens de negócios, de seis por cento, foi moderada em comparação com 2012.

Como é típico em um mercado em crescimento, os chineses viajam principalmente dentro da própria Ásia. Destinos longínquos, como Europa e América, ocupam o segundo lugar. De momento, não se prevê um final a esse "boom": Para 2014, os especialistas prognosticam um grande interesse nas viagens. Aproximadamente 44 por cento dos chineses declarou desejar viajar um pouco mais no próximo ano.



Destaque de uma crescente classe média

As mudanças na estrutura da sociedade refletem na tendência positiva da China, pois o país dispõe de uma acomodada classe média que cresce com rapidez. Mas mesmo assim, apenas sete por cento dos chineses conta com um rendimento anual de mais de 15.000 dólares americanos. Neste ponto, a China é muito diferente de outros países asiáticos como Japão, Coreia do Sul ou Taiwan.

No entanto, comparado com a China, Japão está mais fraco. A quantidade total de viagens ao exterior reduziu em dois por cento. Os pernoites e as despesas diminuíram em três e seis por cento, respectivamente. As viagens de negócios diminuíram fortemente em comparação com as viagens privadas. Os países asiáticos foram mais afetados pela indecisão de viajar como destino longínquo. As viagens de circuito, antes tão procuradas, registraram um retrocesso de quase 20 por cento. As crescentes cifras de férias na praia e na cidade, porém, permitiu uma compensação abrangente. Apesar da economia no Japão estar recuperando-se atualmente, poucos cidadãos pensam em realizar mais viagens internacionais no próximo ano. O mercado de 2014, portanto, provavelmente ficará paralisado.

Para os próximos anos, espera-se para Ásia uma maior disponibilidade em viajar. Os motivos principais são, entre outros, o crescimento econômico e a crescente classe média composta por jovens bem formados. Além disso, as companhias aéreas de low-cost, como Air Asia, tornam mais fácil e acessível fazer viagens internacionais. O Martin Buck, Diretor do Travel & Logistics Center da Messe Berlin comentou: "Os turistas provenientes de Ásia são muito exigentes nos destinos longínquos, dando muito valor à amabilidade e aos padrões dos serviços. Além do mais, na Ásia, os antigos modelos de viagens em grupo estão completando-se cada vez mais com viagens individuais. As empresas de turismo e os hotéis na Europa, para os quais as entradas desde a Ásia representam um negócio crescente, deveriam orientar os seus serviços de forma correspondente".

Todos os resultados estão baseados nas conferências que aconteceram em Pisa, no Foro do World Travel Monitor ® promovido pela ITB Berlin. Sob convite da empresa consultora IPK International, mais de 50 especialistas em turismo e cientistas do mundo inteiro apresentam anualmente as estatísticas atualizadas e indicam as últimas tendências do turismo internacional.

Mais resultados obtidos das pesquisas de tendências realizadas pela IPK de Janeiro a Agosto de 2013, a opinião expressa de 50 especialistas em turismo provenientes de 20 países bem como dados obtidos do World Travel Monitor ®, estão disponíveis no relatório de tendências World Travel Trends Report da ITB Berlin. Estão disponíveis para o download no site www.itb-berlin.com.

Os resultados finais do ano inteiro do World Travel Monitor ® da IPK International, incluindo perspectivas para o ano 2014, serão apresentados no Congresso ITB Berlin pelo presidente da IPK International, Rolf Freitag. O World Travel Monitor® baseia-se nas entrevistas realizadas anualmente a mais de 500.000 pessoas em mais de 60 mercados turísticos no mundo inteiro e leva funcionando há mais de 20 anos de forma contínua. É considerado como o maior estudo permanente sobre o comportamento de turismo global.

 

- Voltar -
 

 

18/02/2015 ATRACOES