CONHEÇA A GAZETA EXPEDIENTE CONTATO ANUNCIE BUSCA

atrações aviação bahia especiais eventos geral internacionais nacionais pessoas portugal salvador viagens
imprimir

Terceiro ser em confraternização 2013

O 3°C se reencontrou 34 anos depois

Texto/foto: Duda Tawil

O título desta materiazinha vai certamente intrigar o leitor não acostumado a uma turma de então alunos do Vieira, que naquele dezembro de 1979 concluía o colegial, rumo ao vestibular e às faculdades no início dos anos 80. Aquela querida turma era "o 3°C", cerca de 65 seres especiais que se despediam da adolescência naquele final de década, para embarcar na idade adulta.

Após um hiato de 20 anos sem se encontrarem, em sua maioria, foi graças principalmente à saudosa Sheyla Malhado Barbosa - justamente a única que hoje não está entre a gente - que todos voltaram a se rever, pelo menos uma vez por ano.

No início deste dezembro de 2013 que agora vai terminando, o (re)encontro, agora 34 anos depois, foi no Garcia, bairro onde todos se conheceram, e onde está localizado o inesquecível Colégio Antônio Vieira, em Salvador, Bahia. O pretexto, ou a razão a mais, era também a visita da ex-colega, hoje amiga paulistana, Jackie Fraccaroli, que de São Paulo arrumou 15 dias de férias para matar a saudade da Bahia, e desses amigos de longa data.

Em torno da amiga, cerca de 40 deles, e delas, compareceram para os abraços de fim de ano, renovando a alegria da amizade, o amor, a esperança, a vida. Muito propriamente, foi convidado para tocar, o Quarteto Entre Amigos, que conta na sua direção artística com a maior flautista da história da Bahia, ex-professora da UFBa, Elena Rodrigues, hoje do corpo da Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA) e sua sobrinha Carol Carvalho, outra ex-Vieirense, também na flauta; mais o casal Vera Pamponet, no pandeiro, e o ex-Vieirense, Ademir Santos, no violão.

A surpresa da noite ficou por conta do grande violoncelista Marcos Roriz, em participação especial, que canta no Madrigal da UFBa e toca na Orquestra da UFBa. O toque de ternura foi dado por suas duas filhas, as cantoras mirins Raquel e Cecília, esta em homenagem a Santa Cecília, padroeira dos músicos, festejada em 22 de novembro, que (en)cantaram músicas de Natal.

Juntos, eles tocaram um repertório (per)feito para a homenageada daquela noite, Jackie, pois fazia uma ponte entre a Bahia e a Paulicéia Desvairada, com composições de Adoniran Barbosa, Paulo Vanzolini, Rita Lee, e obviamente o baiano Caetano Veloso com sua obra-prima Sampa, um canto de amor a São Paulo.

Terceiro ser, e não C? Eis a questão que se Deus quiser vai permanecer por muitos e muitos anos.

 

- Voltar -
 

 

18/02/2015 ATRACOES