CONHEÇA A GAZETA EXPEDIENTE CONTATO ANUNCIE BUSCA

atrações aviação bahia especiais eventos geral internacionais nacionais pessoas portugal salvador viagens
imprimir

Vaucluse, departamento francês da Provence

Os campos de vinha em Châteauneuf-du-Pape

Texto/foto: Duda Tawil *

Ele é um dos menores e mais charmosos departamentos franceses, e faz sonhar o mundo inteiro com nomes como Avignon, Lubéron e Mont Ventoux, as três microrregiões nas quais se encontra subdividido. Encravado na região da Provence, no sul da França, banhado pela luz do sol e privilegiado por um céu de azul límpido na maior parte do ano, o VAUCLUSE tem na sua história, sítios e monumentos seculares, na qualidade das seus vinhedos que produzem um dos melhores vinhos do mundo, o Châteauneuf-du-Pape, na sua variada e rica gastronomia e tremenda beleza das paisagens e vilarejos, a força do seu turismo, o que explica uma taxa de visitação de 4,5 milhões de turistas por ano.

Avignon, a Cidade dos Papas

Avignon é a maior cidade, sede do departamento, e principal porta de entrada da região. Conhecida como a Cidade dos Papas, pois a partir do Século XIV era a capital do cristianismo, com a instalação dos Papas em 1309, e assim se tornou propriedade da Santa Sé por quatro séculos. Com quatro quilômetros de muralhas que a cercam, em grande parte foi tombada pelo Patrimônio da Humanidade da UNESCO. (www.palais-des-papes.com)

Além do Palácio dos Papas, o maior palácio gótico da Europa, edificado em 1335 em menos de 20 anos, a cidade é famosa mundialmente pelo seu Festival de Teatro, desde 1947, sempre o mês de julho, em pleno verão. É o maior encontro de teatro a céu aberto do mundo, com milhares de espetáculos em todos os espaços. Outro símbolo de Avignon é a Ponte Saint-Bénezet, que cruza o rio Rhône, mas constantemente destruída devido às inúmeras inundações causadas pelo rio. Ela continua incompleta, o que faz todo o seu charme, e é Patrimônio da UNESCO. Graças a ela, uma famosa canção para crianças, "Sur le Pont d´Avignon" integrada numa ópera popular, é cantada em todo mundo. (www.avignon-tourisme.com)
,BR> Ao lado do Palais des Papes, uma visita que vale a pena é ao Museu do Petit Palais, no antigo Palácio do Arcebispado. Ele possui uma coleção excepcional de pinturas italianas e provençais, do final do Séc. XIII ao início do Séc. XVI, assim como uma coleção de esculturas locais, romanas e góticas. Ali se encontram Botticelli, Carpaccio e Giovanni di Paolo em mais de 300 obras que retraçam o percurso artístico da Idade Média ao Renascimento (www.petit-palais.org)

Mais dois museus, particulares, são imprescindíveis na vista a Avignon, para os amantes de arte. O Museu Angladon, uma mansão no coração do Centro Histórico, possui telas de grandes artistas dos séculos XIX e XX. Aberto em 1996, expõe a coleção do estilista e apaixonado pelas artes Jacques Doucet. É o único museu do sul da França que possui um quadro de Van Gogh (que viveu alguns anos no final de sua vida na Provence e onde pintou inúmeras obras-primas, hoje espalhadas em todo o mundo): "Vagões da Ferrovia". E mais Manet, Degas, Daumier, Cézanne, Vuillard, Sisley, Picasso, Foujita e Modigliani. (www.angladon.com)

O outro é o Museu Louis Vouland: na intimidade de uma mansão do final do Séc.XIX, uma rica coleção de artes decorativas, representativa dos séculos XVII e XVIII, e obras de pintores provençais e de Avignon do Séc. XIX. Aberto em 1982, reinaugurado em 2006, ele possui cerca de 200 peças em cerâmica, mobiliário, prataria, lustres e tapetes valiosos da coleção do casal Vouland. Um belo jardim interno completa a vista. (www.vouland.com)

Imperdível são as Halles d´Avignon, em outras palavras, o mercado municipal, coberto, para degustação de produtos locais. Existem também cursos de cozinha, previamente agendados: a pessoa faz as compras ali mesmo com o chef do dia, e passam juntos do fogão à mesa. Melhor, impossível. O mercado reúne 40 comerciantes, e existe há 120 anos. Fica na Place Pie, e a fachada é um surpreendente muro vegetal concebido por Patrick Blanc. Experimentar os vinhos Côtes du Rhône, como o Châteauneuf-du-Pape branco e o tinto Saint-Joseph; os queijos de cabra da Ferme de Pesillon, o Picodon de Dieulefit, típico da Provence, o Pelardon e o Banon; o omelete Crespeou; as tapenades (patês de azeitona); as anchoiades (com enchovas) e o patê Caillette, entre outras muitas especialidades locais e da França em geral. (www.avignon-leshalles.com)

Onde ficar: Hôtel de l´Horloge, rue Félicien Davig, 3 - 84000 Avignon, Tel.: (0033) 4.90.16.42.00 (www.hotels-ocre-azur.com; e e-mail: hotel .horloge@hotels-ocre-azur.com).

Onde comer: Le 46 Restaurant Bar à Vin, na rue de la Balance, 46 - 84000 Avignon, Tel.: (0033) 4.90.85.24.83 (www.le46avignon.com e e-mail: contact@le46avignon.com)

Guia de turismo e conferencista: Nadine Marquier, tel.: (0033) 6.11.81.10.11.

 

- Voltar -
 

 

18/02/2015 ATRACOES